A obsessão mamária de Russ Meyer

RM estava interessado na fantasia, não na “realidade” de mostrar sexo. Ele não estava preparado para abrir mão da fantasia para documentar os mecanismos pegajosos da genitália, particularmente abaixo da linha da cintura. O sexo explícito fez os excessos de Meyer parecerem velhos, até ingênuos. Russ Meyer sem fantasia é como O Mágico de Oz sem os macacos voadores. Veja um de seus últimos trabalhos, Pandora Peaks: o tesão desapareceu, mas a obsessão mamária continua. Mas é tudo que restou, e nesse ponto já se tornou grotesco.

Jimmy McDonough, escritor, autor de uma biografia sobre o cineasta Russ Meyer, Big Bosoms and Square Jaws, em entrevista ao crítico André Barcinski, em seu blog no site da Folha de São Paulo (6 de agosto de 2010; leia entrevista aqui). Abaixo, o elenco feminino de Faster, Pussycat! Kill! Kill!, a obra mais famosa de Meyer.

Curta o Palavras de Cinema no Facebook

faster pussycat kill kill foto

Veja também:
Cinco atrizes que erotizaram o cinema nos anos 50

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s