Bastidores: Laranja Mecânica

Fantasia sobre jovens sociopatas num futuro distorcido, o filme foi vendido com uma propaganda que prometia “estupros, ultraviolência e Beethoven”. Mais tarde, uma mulher teria sido estuprada numa cidade inglesa por um bando de homens que cantavam “Singin’ in the Rain”, imitando o personagem representado por Malcolm McDowell no filme. Um funcionário de parque de diversões supostamente obcecado pelo filme espancou duas mulheres até a morte em incidentes distintos, o segundo dos quais aconteceu 13 anos após o primeiro. Ele usava chapéu-coco e tocava a abertura “William Tell”. As ligações com o filme não foram comprovadas. Mas o diretor, Stanley Kubrick, insistiu que a Warner tirasse Laranja Mecânica de cartaz no Reino Unido. O filme só voltou a ser exibido no país após a morte dele, em 1999.

Michael Cieply, no jornal The New York Times. O texto foi reproduzido no jornal Folha de S. Paulo (6 de agosto de 2012; leia o texto completo aqui). Em sua análise, Cieply relembra os filmes do estúdio Warner Brothers que provocaram polêmica devido à violência.

Curta o Palavras de Cinema no Facebook

laranja mecânica bastidores

Veja também:
Bastidores: De Olhos Bem Fechados

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s