Cinco momentos inesquecíveis de Rede de Intrigas

Rede de Intrigas é o melhor filme já feito sobre o mundo da televisão. E é o melhor filme de seu diretor, Sidney Lumet. Com um roteiro afiado de Paddy Chayefsky e um elenco em seus melhores dias, Lumet compõe a loucura de seu tempo, quando o jornalismo comprometido perdia espaço e dava vez ao espetáculo barato.

Curta o Palavras de Cinema no Facebook

Continua verdadeiro e até atual: retrata a busca desenfreada pela audiência. Por ela, permite-se tudo, ou quase: a aliança da emissora com grupos criminosos, um homem enlouquecido à frente de um programa popular e até mesmo um crime ao vivo. Lumet apresenta assim as regras – ou a falta delas – desse grande circo consumido por milhões.

Suicídio anunciado

O apresentador do programa, um tal Howard Beale (Peter Finch), precisou anunciar o próprio suicídio, em cadeia nacional, para voltar ao centro do jogo: passou assim de coadjuvante em fim de carreira à profeta da televisão. Suas doses de loucura não o retiram de cena. Ao contrário. Uma produtora sedenta por audiência, Diana Christensen (Faye Dunaway), vê nele a possibilidade de salvar as finanças da empresa.

rede de intrigas1

“Não vou suportar isso!”

O grito do profeta, repetido várias vezes, tem desespero e toca o espectador: “Estou muito bravo e não vou mais suportar isso!”. Sinal dos tempos. É da América maluca que fala Lumet nesse grande filme. Ao proferi-lo, o profeta pede que os outros gritem alto, para fora de suas janelas. É prontamente atendido. Para o delírio de Christensen – e para a estranheza do amigo Max Schumacher (William Holden) –, a audiência vai às alturas.

rede de intrigas2

Orgasmo

Enquanto parece levar Max ao amor de juventude, quando correm ao quarto para fazer sexo, Christensen não para de falar sobre televisão. Torna-se uma máquina de informações e números. À medida que o plano de sucesso dela ganha mais e mais detalhes, a tensão sexual também aumenta. Culmina no orgasmo. É um entre outros momentos geniais do roteiro de Chayefsky, ganhador do Oscar.

rede de intrigas3

Despedida

Os poucos minutos Beatrice Straight são inesquecíveis. Momento forte em que ela, mulher de Max, recebe a notícia do próprio sobre sua relação extraconjugal – justamente com Christensen. “Diga alguma coisa, pelo amor de Deus”, pede a mulher. “Não tenho nada a dizer.” Pouco depois, ela ainda o questiona sobre os sentimentos da outra. O roteiro dessa relação, ele diz, está pronto. A outra não tem sentimentos.

rede de intrigas4

Fim do show

Quando Howard deixa de apresentar os números desejados pela emissora e passa a ser um problema ao falar o que pensa, os graúdos de sua empresa bolam um plano para retirá-lo de cena. Desenha-se um crime ao vivo, com a ajuda de um grupo comunista. Com a montagem paralela, o espectador assiste à reunião entre os executivos e à execução do crime, passado e presente, em encerramento brutal e revelador.

rede de intrigas5

Veja também:
Os 100 melhores filmes dos anos 70

2 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s