Bastidores: Arca Russa

Em Hitchcock, o tempo do filme corresponde ao tempo da narração. Com Sokurov, o tempo da filmagem é o tempo do filme, mas não daquilo que é contado. Ele pressupõe uma espécie de tempo anterior, primordial, em que história e cinematografia se combinam. Não há quebras: a única ruptura é a definitiva, quando o filme se conclui e as luzes do cinema se acendem. Por uma coincidência voluntária, o término do filme mostra a grande ruptura da história russa moderna, ou seja, o fim do fastígio da corte dos czares trazido pela revolução.

Jorge Coli, professor de História da Arte, na Revista Bravo! (março de 2003; pg. 59). A análise, escrita na ocasião do lançamento do filme de Aleksandr Sokurov no Brasil, aborda também Festim Diabólico, de Hitchcock, feito com apenas alguns cortes ocultos. No caso da obra de Sokurov, são 92 minutos sem um único corte. Abaixo, Sokurov (à direita) comanda sua equipe.

arca russa

Veja também:
Hitler (em 10 filmes)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s