Forças do expressionismo

Misticismo e magia – forças obscuras às quais, desde sempre, os alemães se abandonaram com satisfação – tinham florescido em face da morte nos campos de batalha. A hecatombe de jovens precocemente ceifados pareceu alimentar a nostalgia feroz dos sobreviventes. E os fantasmas, que antes haviam povoado o romantismo alemão, se reanimavam tal como as sombras de Hades ao beberem sangue.

Lotte Eisner, em A Tela Demoníaca: As influências de Max Reinhardt e do Expressionismo (Editora Brasiliense; pg 17). O trecho foi reproduzido e retirado do livro História do Cinema Mundial (Papirus Editora; pg. 80), em um capítulo dedicado ao expressionismo alemão, escrito pela jornalista Laura Loguercio Cánepa. Abaixo, uma imagem do extraordinário Fausto, de F. W. Murnau, um dos filmes mais famosos do movimento que, para muitos, antecipou o período obscuro ao qual a Alemanha mais tarde seria lançada, com a ascensão do nazismo.

fausto

Veja também:
Os 100 melhores créditos de abertura da história do cinema

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s