Dez grandes filmes sobre amor obsessivo

O amor tem diferentes faces. No cinema, há ternura e loucura, com pertencimento ou repelência. Em exagero, o amor pode ser destrutivo. Alguns amantes, como se vê nos filmes abaixo, estão dispostos a morrer pelo outro, ou mesmo a amar um espírito. Estão à beira da loucura, às vezes sem caminho, às vezes sem respostas.

Curta o Palavras de Cinema no Facebook

Abaixo, dez exemplos de grandes filmes nos quais o amor é colocado de cabeça para baixo. Contudo, continua por ali, mesmo quando difícil de enxergar.

O Morro dos Ventos Uivantes, de William Wyler

Apesar de tanto amor, o filme de Wyler tem boas pitadas de vingança – com Laurence Olivier como o pobretão que retorna rico para tomar seu grande amor. Um clássico sobre amores e fantasmas, sobre a eternidade.

o morro dos ventos uivantes

O Retrato de Jennie, de William Dieterle

Mais do que sobre o amor, a obra de Dieterle é sobre um homem obcecado pela beleza, pela mulher de outro tempo que aparece a ele e por quem se vê apaixonado. Belo e de encerramento delirante, o filme foi elogiado por Luis Buñuel.

o retrato de jennie

Um Corpo que Cai, de Alfred Hitchcock

Não raro considerada a obra maior do “mestre do suspense”, é a história de uma mulher obcecada por um quadro, de um homem obcecado por ela e pelo medo de altura. Os caminhos inusitados dão vez a uma grande história de amor. Com a linda Kim Novak.

um corpo que cai

Lolita, de Stanley Kubrick

O homem mais velho faz de tudo para estar perto da jovem garota, a adolescente que antes foi sua enteada e depois passa a amante. À época, no começo dos anos 60, Kubrick tratou o romance até com certa leveza para driblar a censura.

lolita

A História de Adèle H., de François Truffaut

O amor não correspondido e em suas últimas consequências. A personagem-título, filha do famoso escritor Victor Hugo, sai da Europa e vai para o Canadá para tentar encontrar seu grande amor. É quando começa sua jornada de sofrimento.

a história de adèle h

O Império dos Sentidos, de Nagisa Oshima

Considerado pornográfico, é um dos filmes mais corajosos e ainda assim controversos da história do cinema. Oshima funde amor à loucura e encerra a vida dos amantes com tragédia, pois é a forma de possuir o outro por inteiro.

império dos sentidos

Esse Obscuro Objeto de Desejo, de Luis Buñuel

Como no poderoso e anterior O Alucinado, o mestre espanhol conta a difícil vida de um homem impotente, em desespero e dominado por uma mulher. Buñuel utiliza duas atrizes diferentes para viverem a mesma personagem.

esse obscuro objeto de desejo

A Garota de Trieste, de Pasquale Festa Campanile

Pintor solitário, à beira-mar, presencia o resgate de uma bela garota, retirada da água, quase morta. Mais tarde obcecado, ele passa a perseguir a jovem (a bela Ornella Mutti) que, com frequência, mostra-se descontrolada.

garota de trieste2

Ondas do Destino, de Lars Von Trier

Uma mulher aceita sair com outros homens apenas para satisfazer os desejos de seu marido tetraplégico, que se alimenta dos relatos de suas aventuras sexuais. Os limites do amor e a hipocrisia religiosa fazem parte do grande filme do diretor dinamarquês.

ondas do destino

Fale com Ela, de Pedro Almodóvar

O enfermeiro ao centro da obra – efeminado e amante da arte – está apaixonado por uma paciente. O problema é que ela encontra-se presa a uma cama de hospital, em coma. Isso não o impede de lhe contar histórias. É o melhor filme de Almodóvar.

fale com ela

Veja também:
Dez filmes sobre a descoberta da sexualidade

4 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s