Bastidores: Sinfonia de Paris

É como se o mundo cinematográfico da comédia musical fosse feito de vários universos paralelos. Basta um movimento físico, um acorde sonoro ou uma predisposição meditativa do personagem para outra dimensão se abrir dentro do filme e sermos levados para um novo espaço-tempo – regido não mais pela verossimilhança, mas pela fantasia, pelo sonho ou pelo delírio. Saímos do campo estreito do realismo e entramos no terreno do maravilhoso. Se o espectador não aceita esse “transporte” de uma dimensão à outra, ele não compreenderá nunca a comédia musical.

Alcino Leite Neto, em uma análise do filme de Vincente Minnelli e, por consequência, da comédia musical (na edição de Sinfonia de Paris para a Coleção Folha Clássicos do Cinema). Na foto, Minnelli e o astro Gene Kelly.

sinfonia de paris bastidores

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s