Cinco dramas japoneses do cinema recente

O que os filmes da lista abaixo têm em comum além de serem japoneses? Todos tratam de relações familiares. O tema é predominante no cinema japonês atual. E isso pode estar relacionado à tradição dos filmes familiares de Yasujiro Ozu. O diretor é o mestre dos pequenos dramas – mas pequenos às aparências. Ozu é gigante.

Na lista, por sinal, há a refilmagem de seu filme mais famoso, Era Uma Vez em Tóquio, chamado Uma Família em Tóquio. Além das relações familiares, as obras da lista abordam como lidar com a morte e as mudanças na sociedade. São belos dramas que não apelam a lágrimas fáceis. Ao contrário: são sinceros, às vezes diretos. Verdadeiros.

A Partida, de Yôjirô Takita

O protagonista descobre seu talento para a preparação de cadáveres em funerais ao modo japonês. O problema é que tal emprego não é aceito por todos em sua sociedade. Além disso, o mesmo rapaz tem problemas com o pai. O diretor Takita encontra bom equilíbrio nessa história tocante, e ainda ganhou um Oscar de filme estrangeiro.

a partida

Uma Família em Tóquio, de Yôji Yamada

Os filhos parecem ter boa relação com os pais. Mas os tempos mudaram: na cidade grande, o casal de velhinhos que visita os filhos está deslocado, entre a nova vida da cidade grande, os grandes prédios, e o cinismo quase imperceptível dos mais novos. O resultado prova que as histórias de Ozu seguem atemporais.

uma família em tóquio

Pais e Filhos, de Hirokazu Koreeda

Koreeda tem ganhado destaque, nos últimos anos, com filmes poderosos como Ninguém Pode Saber e O Que Eu Mais Desejo, ambos voltados à infância e envoltos em delicadeza. Em Pais e Filhos, ele aborda a troca de bebês na maternidade e como as famílias terão de lidar com a questão – entre os abismos do Japão atual.

pais e filhos

O Desejo da Minha Alma, de Masakazu Sugita

Menina pré-adolescente tem de encarar a morte dos pais após um terremoto. Ela e o irmão pequeno passam a viver com os tios e não conseguem se adaptar à nova realidade, com outra cidade, casa e escola. No caso da menina, ter de esconder a tragédia do irmão menor – que espera pelo retorno dos pais – torna-se um peso difícil de carregar.

o desejo da minha alma1

O Segredo das Águas, de Naomi Kawase

De novo, a morte ganha destaque. Uma adolescente tem de lidar com os últimos momentos da vida da mãe enquanto descobre o amor e a sexualidade na companhia de um amigo. O rapaz, por sua vez, tem problemas com sua mãe, o que levará a obra de Kawase – responsável pelo belo Suzaku, de 1997 – ao desfecho surpreendente.

o segredo das águas

Veja também:
Cinco filmes sobre imigração no mundo atual

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s