Rossellini segundo Glauber Rocha

Diante do universo como um cão acuado, Rossellini se liberta lançando perguntas. Porque talvez já conheça bastante o âmago dos objetos, o detalhe das coisas, a miséria e a bondade das faces humanas – por causa destas verdades que despreza – Rossellini não aproxima a visão, não avança a câmera, despreza o close, abdica do particular pelo geral. É um panteísta às avessas, sempre sobre as ruínas da guerra, a névoa dos infernos italianos, a fumaça dos vulcões ou a poeira arqueológica.

Trecho retirado de O Século do Cinema, de Glauber Rocha (Editora Cosac Naify).

Abaixo, Ingrid Bergman com Rossellini.

roberto rossellini

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s