Palavras de Cinema

pensamentos e ideias sobre sétima arte, por um amante de longa data

Os dez melhores filmes de 2013

with one comment

A lista alonga-se. Muitos filmes bons chegaram no ano que acabou de terminar, de gêneros e tipos diferentes, de diversas nacionalidades. Há, na lista, do filme brasileiro sobre um cabaré dos anos 70 à história de uma mulher perdida no espaço, em luta pela própria vida. Abaixo, o melhor do cinema em 2013 – na opinião do jornalista que aqui escreve. PS: nem todos os filmes são de 2013, mas foram lançados nos cinemas ou chegaram à apreciação apenas nesse ano.

Veja também

Os piores de 2013

Os que prometeram e entregaram pouco

As melhores atuações

Os melhores de 2012

10) A Garota de Lugar Nenhum, de Jean-Claude Brisseau

Um olhar original sobre o bom e velho anjo da morte, às portas de um pensador.

a garota de lugar nenhum

9) Blue Jasmine, de Woody Allen

O grande cômico americano brinca com a tragédia nessa deliciosa comédia.

blue jasmine

8) Tatuagem, de Hilton Lacerda

O cabaré representa a libertinagem à contramão do militarismo brasileiro.

tatuagem

7) Instinto Materno, de Calin Peter Netzer

Ao centro, uma mãe capaz de tudo para salvar o filho – até mesmo ser uma vilã.

instinto materno

6) O Mestre, de Paul Thomas Anderson

Um homem retorna da guerra e encontra seu mestre – e sua religião.

o mestre

5) Azul é a Cor Mais Quente, de Abdellatif Kechiche

Não era bem uma cor quente até Kechiche expor essa paixão explosiva.

azul é a cor mais quente

4) A Bela que Dorme, de Marco Bellocchio

O mosaico de vidas de Bellocchio traz um trabalho devastador.

a bela que dorme

3) Gravidade, de Alfonso Cuarón

A busca pela gravidade, por estar no mundo, por escapar das amarras da vida.

gravidade

2) Um Estranho no Lago, de Alain Guiraudie

O fim não poderia ser diferente em um filme que tudo mostra: a escuridão.

um estranho no lago

1) A Grande Beleza, de Paolo Sorrentino

Qualquer obra que termine com uma santa lutando para subir uma escadaria já deixa claro o questionamento sobre a vida, e o que faz tudo isso valer a pena. Por que aquela decrépita faz aquilo? A resposta não deixa dúvida: é a vida, a nada doce vida.

grande beleza

E outras belezas do ano passado:

Adeus, Minha Rainha, de Benoît Jacquot

Alabama Monroe, de Felix Van Groeningen

Além das Montanhas, de Cristian Mungiu

Além do Arco-Íris, de Agnès Jaoui

Amor Pleno, de Terrence Malick

Antes da Meia-Noite, de Richard Linklater

Bastardos, de Claire Denis

A Caça, de Thomas Vinterberg

Camille Claudel, 1915, de Bruno Dumont

Dentro de Casa, de François Ozon

Depois de Maio, de Olivier Assayas

Django Livre, de Quentin Tarantino

Elena, de Petra Costa

A Filha de Ninguém, de Sang-soo Hong

Frances Ha, de Noah Baumbach

O Grande Mestre, de Wong Kar-Wai

Hoje, de Tata Amaral

A Hora Mais Escura, de Kathryn Bigelow

Killer Joe – Matador de Aluguel, de William Friedkin

A Memória que me Contam, de Lúcia Murat

Na Neblina, de Sergei Loznitsa

O Passado, de Asghar Farhadi

Reality – A Grande Ilusão, de Matteo Garrone

Rush: No Limite da Emoção, de Ron Howard

Os Suspeitos, de Denis Villeneuve

About these ads

One Response

Subscribe to comments with RSS.

  1. Gravidade no top 3 é certeza que eu aprecio essa lista.
    Hahahaha

    LeoFLuz

    16 de January de 2014 at 12:20 pm


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 105 other followers

%d bloggers like this: